Arquivo da Categoria: Leo Cavalcanti

Leo Cavalcanti (2010 – Religar)

Leo Cavalcanti, jovem cantor, compositor, multi-instrumentista e arranjador, é detentor de múltiplos talentos e desenvolve uma linguagem musical ímpar, tanto pela qualidade e originalidade de suas composições – que buscam o sincretismo cultural e a universalidade, com melodias ricas e intensas, poesia sofisticada que questiona e dialoga com seu tempo e procura os significados mais profundos da existência – quanto por seu grande potencial como cantor, instrumentista e arranjador de suas canções. Tem uma voz que chama a atenção e uma técnica muito particular de tocar violão.Leo é um multi-artista de verve afiada, que sabe bem o que quer, que resultado estético alcançar e como produzi-lo. O foco de sua arte é a transformação e o auto-conhecimento. Seu trabalho, levando-se em conta o pouco tempo desde a estréia de seus shows, tem tido uma repercussão fortíssima dentre os que tem entrado em contato com ele – seja através das apresentações ao vivo ou de suas músicas disponíveis para audição no site myspace.com/leocavalcanti – rendendo comentários na mídia impressa. Leo descobriu a música como uma linguagem natural para si quando era criança. Adorava ouvir discos de Flamenco, amava Michael Jackson e Jackson do Pandeiro. Começou a tocar violão aos 9 anos, de uma forma quase auto-didata, tempo também que se apaixonou pela obra dos Beatles. Aos 13 anos começou a compor músicas e a tocar pandeiro, quase que instantaneamente, sem aulas nem coordenadas. No mesmo ano, começou a tocar profissionalmente participando de shows do pai, o compositor Péricles Cavalcanti.
Aos 14 ingressou como percussionista na banda de música infantil do selo Palavra Cantada de Paulo Tatit e Sandra Perez, realizando shows por todo o Brasil. Aos 16, criou sua primeira banda, Xanduzinha, fazendo uma homenagem a música de Jackson Do Pandeiro e Luiz Gonzaga, mostrando versatilidade ao tocar percussão, violão e guitarra além de cantar. A banda fez muitos shows em casas lotadas do então existente “circuito de forró universitário” paulistano.A partir dos 18 anos, começou a consolidar sua obra de composição, e a fazer experimentações musicais num estúdio caseiro, desenvolvendo assim uma linguagem musical muito peculiar, com linhas rítmicas contagiantes, presença marcante de vozes e poesia que se aprofundava cada vez mais.Paralelo à isso, mergulhou no desenvolvimento do seu canto, processo esse que foi além do aperfeiçoamento técnico, e que se deu terapeuticamente, no sentido da promover uma busca sincera de sua voz, de sua expressão, e do sentido verdadeiro de seguir tal caminho. Consequentemente, suas buscas também foram para além da música: cursou faculdade de Geografia, desistindo no 3º ano e partindo para o que hoje é uma grande paixão: as ciências holísticas – estas, no caso, são a Yoga e a Massoterapia.Leo fez e faz inúmeros cursos de formação em Yoga e massoterapia. Para ele, tais ciências se complementam com a música, pois ambas buscam a liberdade, o auto-conhecimento e a transformação. Uma ajuda a outra a se desenvolver. Assim começava-se a delinear sua identidade musical e pessoal que hoje o define, e que seus frutos começa agora a colher.